Está preparada para secar a barriga de vez?

Quem não quer secar a barriga? Até as mulheres mais magrinhas sempre acham uma gordurinha que querem perder, não é verdade?
 
Justamente por esse ser um assunto muito abordado no meu consultório, resolvi fazer uma série com 3 partes para falar tudo sobre esse assunto. Nessa primeira parte da série, vou abordar os porquês da tão indesejada barriguinha, do tipo de corpo de cada mulher, onde a gordura acumula mais e dar dicas de como perder essa gordura localizada!

Vamos!?

O primeiro passo é identificar se essa barriga, que você está incomodada é estufamento ou aumento de percentual de gordura.Também tem a opção de ser os dois. Vou te explicar melhor.
 
Quando é estufamento, pode ser causado por gases, que são causados por muitos motivos diferentes. A maior parte deles é produzida no intestino por carboidratos que não são quebrados na passagem pelo estômago. Como o intestino não produz as enzimas necessárias para digeri-los, eles são fermentados por bactérias que normalmente vivem ali. Esse processo é responsável pela maior produção e liberação de gases. Existem casos que são genéticos, mas na grande maioria a relação é com a dieta adotada. Por exemplo, se sua dieta é rica em fibras e em carboidratos, com pouca gordura, ela pode produzir mais gases. 
 
Alguns alimentos causam mais gases, mas não devem ser eliminados da sua rotina, pois são importantes fontes de proteínas, fibras e outros nutrientes. Esses alimentos são as leguminosas, ricas em carboidratos não absorvíveis, como feijão, ervilha, lentilha e soja.
Outros fatores são:
  • Intolerância a lactose;
  • Alguns adoçantes artificiais;
  • Comer rápido demais e não mastigar bem os alimentos;
  • Produtos ricos em farinha refinada;
O legal é você analisar os alimentos que come e se após comê-los fica ou não com esse estufamento. Cada pessoa reage de uma forma aos alimentos, algumas têm intolerância à farinha (pães, massas), batata doce, cebola, rabanete, aipo, berinjela e germe de trigo. Alguns vegetais como repolho, brócolis, couve-flor e couve-de-bruxelas. Mas como disse no início do texto, alguns fazem muito bem a saúde e não devem ser eliminados da dieta.
 
A dica é beber bastante líquido e consumir alimentos ricos em fibras, para o intestino funcionar melhor. Praticar atividade física também ajudam a eliminar os indesejados gases.
 
Agora que você identificou se são gases ou percentual de gordura, já sabe onde atuar.

Vou falar agora de percentual de gordura. Onde realmente mora o perigo e também é a parte mais difícil de eliminar.

Existem corpos diferentes entre as mulheres e isso influencia no acúmulo de gordura em cada local do corpo. Todas essas variações, no entanto, podem influenciar quais doenças a pessoa vai desenvolver ao longo da vida e como o organismo responde as dietas e à prática de exercícios físicos.
 
Vou falar um pouquinho de cada um deles.
 
  • Corpo tipo ampulheta ou violão
Quem possui esse tipo de corpo tem os ombros e os quadris do mesmo tamanho e a cintura bem marcada. A gordura se distribui bem pelo corpo. 
 
  • Corpo tipo triângulo ou pêra

Quem tem esse tipo de corpo possui quadris mais largos do que os ombros e cintura fina. Normalmente as mulher tem coxas grossas, bumbum grande e seios pequenos ou médios. É o tipo de corpo mais comum entre as mulheres brasileiras. Se constitui de um quadril largo, no qual a gordura se concentra.

  • Corpo tipo triângulo invertido

As mulheres que possuem esse tipo de corpo têm ombros e costas mais largas do que os quadris, que são estreitos. Normalmente as pernas são finas, a cintura é pouco marcada e os seios são grandes. A gordura costuma se acumular mais nos braços, no tórax e nas costas.

  • Corpo tipo retângulo ou reto
As mulheres com esse tipo de corpo geralmente não possuem cintura, dando aquele aspecto de retângulo. Os ombros e quadris são praticamente da mesma medida, assim como a cintura. Esse biótipo é comum em mulheres altas, magras e de pernas longas. A gordura pode se distribuir bem pelo corpo ou ficar localizada na parte inferior da barriga.
 
  • Corpo tipo oval (maçã)
Nesse biótico a barriga é a maior medida do corpo, ou seja, a cintura é muito maior que os ombros e os quadris. Geralmente as mulheres que possuem esse corpo estão acima do peso e com um maior acúmulo de gordura abdominal. Devido a isso, o corpo oval é o mais relacionado a doenças cardiovasculares como hipertensão, infarto e derrame.
 
Falamos de cada tipo de corpo e onde a gordura acumula mais em cada um, mas existem muitos fatores que podem aumentar esse acúmulo de gordura, além da genética. Mas uma coisa é certa, a gordura abdominal é uma das mais difíceis de perder. 
 
Outros fatores como má alimentação, postura, roupas apertadas e stress, podem afetar diretamente esse sobrepeso. 
 

Bora falar mais sobre isso!

Sobre má alimentação falamos com frequência por aqui, mas é sempre importante repetir, porque ter uma alimentação desregulada, pobre em nutrientes e rica em carboidratos simples e açúcares é o principal motivo do aumento de gordura abdominal. Então já está mais do que na hora de mudar esse cardápio. Prefira comida de verdade, evite os industrializados, introduza verduras, legumes, proteínas e gorduras boas no seu dia a dia. Beba bastante água, durante todo o seu dia, estar hidratado faz com que seu corpo funcione melhor e se livre das impurezas.
 
Você sabia que o estresse está diretamente relacionado ao aumento de peso? Isso mesmo, ficar estressado faz com que você libere cortisol e ele é responsável pelo acúmulo de gordura abdominal em mulheres, incluindo as magras. A substância faz a gordura se acumular em volta dos órgãos. Mas como resolver isso? Dormir bem, praticar exercícios e buscar momentos de relaxamento podem ser algumas saídas.
 
O desequilíbrio hormonal também é um fator para o aumento da gordura corporal. O culpado disso é o excesso de estrogênio. O hormônio em doses exageradas aumenta a gordura corporal e ainda faz com que o tecido adiposo produza e armazene ainda mais estrogênio, com isso o corpo fica incapaz de usar essa gordura para gerar energia, diminuindo a capacidade do corpo de queimar a gordura armazenada. Nesse caso, mesmo com dieta e atividade física, o peso extra não vai embora. Perceba os sintomas e se achar que está com alguns deles, procure um médico. Excesso de peso, fadiga, alterações do humor, muita dor de cabeça, fluxo menstrual intenso, ansiedade, irritação, falta de memória, incontinência, diminuição de libido, seios doloridos e retenção de líquidos, são alguns sintomas desse desequilíbrio. 
 
Agora, por último, mas não menos importante, está a prática de atividade física. Praticar atividade física regularmente melhora todo o funcionamento do corpo, além de queimar as indesejadas gordurinhas. A melhor forma de manter o peso ideal é a combinação de boa alimentação com exercícios físicos e não apenas um ou outro.

Você não precisa se matar na academia todos os dia e pegar super pesado, mas um pouquinho todos os dias é o ideal. Se ficar difícil, tente ir pelo menos 3 vezes na semana. Sempre com a orientação de um profissional especializado. O educador físico é a melhor pessoa para te ajudar.
 
Vou listar alguns benefícios que a atividade física proporciona.
  • Ajuda no bom funcionamento dos órgãos, principalmente o coração.
  • Contribui para o bom funcionamento do intestino.
  • Diminui a ansiedade, o estresse e a depressão.
  • Melhora o humor e a auto-estima.
  • Ajuda na prevenção e no controle de doenças cardiovasculares, diabetes melito, hipertensão arterial, osteoporose e problemas respiratórios.
  • Ajuda na queima de gordura.
  • Melhora sua disposição.
  • Melhora o seu sono.
 
Quanto mais ativo você for, melhor, então bora deixar a preguiça de lado e vamos fazer exercício!
 
Entendeu que não existe milagres? Os resultados que você tanto espera só vão aparecer de verdade, se você se comprometer com as mudanças dos seus hábitos. 
 
Gostou dessa primeira parte da série SECA BARRIGA? Já já vamos continuar com esse assunto por aqui!

Posts mais vistos

Receba minha ajuda direto do seu e-mail!

Receba dicas de alimentação e saúde.