Dispositivo Intra-uterino (DIU)

Dispositivo Inutra-uterino (DIU)

Esquecidos por um tempo, os dispositivos intra-uterino vem ganhando o foco recentemente, principalmente o DIU de cobre, para aquelas mulheres que querem deixar de tomar a pílula anticoncepcional, devidos aos seus efeitos colaterais e buscam uma alternativa livre hormônios.

O DIU é um método anticoncepcional efetivo, de longa duração, em forma similar a um T, que é introduzido no útero através do canal cervical pelo ginecologista com variação de durabilidade entre 5 a 10 anos, dependendo do tipo.

Existem dois tipos de DIU:

  • Não hormonal
  • Hormonal

DIU não hormonal

DIU de cobre

O material deste dispositivo é feito de cobre, que tem função inflamatória local e espermicida, tornando o útero um ambiente inóspito para a fecundação. Com esse método, o ciclo menstrual se mantém com todas as fases, não há interferência hormonal no organismo e tem durabilidade de 10 anos em média.

O DIU de cobre pode aumentar o fluxo menstrual e causar irregularidades no ciclo, assim como o aumento de cólicas. No entanto, esses efeitos não ocorrem em todas as mulheres.

DIU hormonal

No Brasil, temos o Mirena disponível, que causa uma liberação de baixa dose de progestágeno local. Essa substancia deixa o muco cervical mais espesso, se tornando uma barreira ao espermatozoide e em algumas mulheres, evita a ovulação, podendo ter o fluxo menstrual escasso ou até cessar completamente a menstruação. Tem durabilidade de 5 anos.

Vantagens do dispositivo intra-uterino:

  • É um método eficaz, com segurança prática superior à pílula;
  • Não precisa de manutenção ou troca mensal ou diária;
  • Por ser um método de longa duração, se torna uma economia quando comparados aos métodos de uso diário ou periódico;
  • Pode ser introduzido no consultório médico;
  • Pode ser utilizado por quem nunca engravidou;
  • Pode ser colocado imediatamente após o parto e não contra-indica amamentação;
  • Retorno a fecundação imediatamente após a retirada;
  • Anticoncepção iniciada imediatamente após a introdução.

Quem não pode usar o DIU?

De acordo com a Organização Mundial de Saúde quem não é rigorosamente elegível ao método são as mulheres que se enquadram na categoria 4, ou seja, apresentam algumas das condições a seguir:

  • Gravidez confirmada ou suspeita;
  • Infecção pós-parto ou pós-aborto;
  • Doença inflamatória pélvica (DIP) atual ou recente (nos últimos três meses);
  • Cervicite purulenta;
  • Sangramento genital de natureza desconhecida;
  • Tuberculose pélvica;
  • Antecedente de episódios de DIP repetidos; câncer genital ou pélvico;
  • Alterações anatômicas do útero que possam comprometer o correto posicionamento do DIU

DIU de cobre X Mirena:

DIU DE COBRE MIRENA
Duração de 10 anos Duração de 5 anos
Não causa efeitos colaterais relacionados ao uso de hormônios Reduz (ou cessa) fluxo menstrual e cólicas
Pode aumentar o fluxo menstrual e cólicas Pode causar cefaleia, náuseas, peso nas mamas e retenção hídrica.

Riscos associados

Os riscos associados são raros, mas quando presentes, podem ser:

  • Perfuração uterina (raro)
  • Expulsão do DIU
  • Sangramento irregular (mais comum nos primeiros 3 – 5 meses)
  • Gravidez ectópica

Para a introdução do dispositivo intra-uterino é necessário exame ginecológico normal; colpocitologia oncótica sem alterações; ausência de vaginites e cervicites, doença inflamatória pélvica aguda ou crônica, malformações uterinas, tumores pélvicos ou câncer genital; ausência de cardiopatias, doenças hematológicas, especialmente as hemorrágicas, deficiências imunológicas e não estar grávida.

Habitualmente, a inserção não exige uso anestesia. Pode ser usada uma dose de um bom analgésico oral, uma hora antes do procedimento, o que o torna mais bem tolerável. É comum as pacientes acusarem discretas cólicas nos primeiros dias após a inserção do DIU, que pode ser resolvido por meio de anti-inflamatórios oral.

Para mais informações, entre em contato comigo.

Este post tem 2 comentários

  1. Monica

    A data na embalagem do diu da esterelização é 2011 é válido por 5 anos , se eu coloca ló agora 2017 terei q retira ló ano que vem?? Qual a data correta para contar contarei a data a partir de colocado obrigada pela dúvida que tenho pode me esclarecer

    1. Suzana Lessa

      Provavelmente a data que você está lendo é do tempo de esterelização do dispositivo. A data é contada a partir de que você coloca.

Deixe uma resposta