Conexão fadiga crônica e saúde intestinal

 

Com tanta demanda dos dias de hoje é normal sentir-se cansado. O antídoto é equilibrar com boa alimentação, sono, exercício e controle de estresse. No entanto, essas modificações no estilo de vida podem não ser suficientes. Nesses casos a fadiga crônica persistente NÃO é normal e é frequentemente um sinal de um problema de saúde subjacente, como doença autoimune, anemia, doença cardíaca, câncer, apnéia do sono, depressão, dentre outras.

Independente da patologia associada é muito possível que a saúde do seu intestino esteja envolvida, através da alteração da microbiota e da permeabilidade intestinal gerando deficiência de absorção de nutrientes e aumento do padrão inflamatório.

Disbiose intestinal

O termo microbiota intestinal refere-se aos microrganismos, bactérias, vírus e fungos, que habitam todo o trato gastrointestinal, e tem como funções manter a integridade da mucosa, estimular a imunidade inata e consequentemente controlar a sobrevivência de bactérias potencialmente patogênicas.

Acredita-se que a microbiota contenha trilhões de microrganismos, com pelo menos 100 espécies diferentes de bactérias conhecidas, acumulando trilhões de genes, até 150 vezes mais genes do que nos humanos.

Seu perfil é influenciado por múltiplos fatores como: contato no início da vida, seja pela passagem mãe/bebe, transmissão vertical, ou pela transmissão horizontal, família/bebe sendo considerada uma das primeiras fontes de microrganismos para as crianças.

Dentre as inúmeras funções que a microbiota pode influenciar nos humanos destaca-se:

  • Controle da proliferação de bactérias patogênicas presentes no trato intestinal
  • Estímulo do sistema imunológico
  • Regulação da absorção de nutrientes
  • Participação na produção de vitaminas e enzimas
  • Produção de componentes necessários para a renovação celular
  • Estimulo da sinetes de hormônios intestinais
  • Síntese de bacteriocinas

A alteração na microbiota pode ser chamada de disbiose intestinal, um desequilíbrio causado por alteração quantitativa ou qualitativa dos microrganismos. Uma das maiores alterações quantitativas é denominada SIBO (small intestine bacterial overgrowth).

Relação fadiga e saúde intestinal

Existem inúmeras condições relacionadas à saúde intestinal que manifestam a fadiga como um dos sintomas, como disbiose com supercrescimento bacteriano no intestino delgado (SIBO), infecções crônicas (bacterianas, virais, parasitárias), supercrescimento fúngico, permeabilidade intestinal e intolerâncias alimentares.

Existem vários mecanismos que explicam essa conexão fadiga-intestino:

  • Diminuição da absorção de nutrientes necessários para produção de energia e função fisiológica normal
  • Função imunológica anormal ou resposta causada pela alteração do microbioma intestinal
  • Inflamação crônica e estresse oxidativo

Essas alterações intestinais podem ser causadas por uma variedade de fatores, incluindo:

  • Dietas ricas em açúcar e carboidrato
  • Baixo ácido estomacal (uso de inibidores da bomba de protões, como o Omeprazol)
  • Medicamentos como antibióticos, AINEs
  • Estresse
  • Cicatrização de cirurgias ou doença de Crohn
  • Dismotilidade intestinal

Normalmente, ocorre quando uma combinação desses fatores estão envolvidos, levando a um acúmulo anormal de bactérias ou fungos no intestino. Isso pode causar todos os tipos de desconforto gastrointestinal e rapidamente se tornar um problema para todo o corpo, porque seu intestino é a porta de entrada para a sua saúde, afetando tudo, desde o sistema imunológico até o humor.

Sintomas relacionados à alteração da saúde intestinal:

  • Flatulências, distensão abdominal.
  • Dor abdominal ou cólicas
  • Diarréia / Obstipação.
  • Diagnóstico de síndrome do intestino irritável ou doença inflamatória intestinal (DII)
  •  Intolerâncias alimentares como glúten, caseína , lactose, frutose e, particularmente, intolerância à histamina
  • Doenças crônicas, como fibromialgia, diabetes, distúrbios neuromusculares e doenças autoimunes
  • Fadiga
  • Má absorção de gordura (representada por fezes pálidas, volumosas e malcheirosas)
  • Rosácea e outras erupções cutâneas

Como salvar o seu intestino e sua saúde:

Quando você está cansado o tempo todo, pode ser um desafio reunir a energia para se cuidar. No entanto, esta é a hora de se colocar em primeiro lugar. Ao tratar da sua saúde intestinal e eventuais deficiências nutricionais e doenças subjacentes, você finalmente terá energia para viver a vida que você quer e merece.

Felizmente, você pode superar o SIBO e a fadiga crônica em apenas três etapas fáceis.

  • Passo 1: Elimine o supercrescimento bacteriano removendo os alimentos que o alimentam: açúcar, álcool e carboidratos. Juntamente com os carboidratos refinados, você também vai querer evitar os chamados “carboidratos saudáveis”, incluindo feijões, grãos e vegetais ricos em amido. Mantenha as frutas no mínimo e opte por variedades com pouco açúcar e baixo teor de carboidratos, como mirtilos, morangos e framboesas.
  • Passo 2: Remova as bactérias nocivas com ativos antibacterianos e antifúngicos naturais como óleo de orégano, alicina e ácido caprílico. Dependendo do grau, poderá ser necessário o uso de medicamentos antibacterianos, antifúngicos e antiparasitários.
  • Passo 3: Restaure suas boas bactérias usando um probiótico que contém cepas bacterianas formadoras de esporos. Ao contrário dos probióticos à base de lacto ou bifido que podem aumentar a SIBO, os probióticos formadores de esporos não colonizam o intestino delgado, em vez disso vão directamente para o intestino grosso e cólon, onde podem suportar um equilíbrio intestinal saudável.

 

 

Fontes:

https://www.sciencedirect.com/topics/medicine-and-dentistry/small-intestinal-bacterial-overgrowth

Amy Myers MD

Murilo Pereira

Deixe uma resposta